Ano letivo 2015/2016

 

Mensagem de boas vindas à comunidade educativa

Sanches refere que a mudança é uma ação complicada, porque procura me­lhorar a vida das pessoas, mas pode pôr em conflito as suas crenças, estilos de vida e comportamentos (2005).

Um dos grandes desafios dos últimos anos na educação tem sido a mudança que gera a inclusão e a responsabilidade de educar para a diversidade, na perspetiva de sucesso para todos. Estas mudanças só serão efetivamente realizadas se existir a implicação de todos os intervenientes nas decisões, para a sua operacionalização, numa estratégia de resolução dos problemas da escola, em geral, e da sala de aula, em particular, contando com a contínua e sistemática ação e reflexão.

A escola tem a função de ensinar/escolarizar, tendo também o dever de educar e de socializar, mas evidentemente através do ensino e da aprendizagem. As boas aprendizagens são feitas com expetativas altas, com um ensino contendo uma adequada e relevante retroação, levando a um ato educativo controlado e avaliado.

A mudança é um processo, é uma construção local apoiada e guiada por um projeto pedagógico ou planos de melhoria como forma de compromisso e responsabilização, perante as entidades educativas locais e nacionais (Freitas, 2005). As mudanças levam a uma qualidade que deve ser obrigatória, mas para tal será pertinente a articulação dos planos de melhoria com os indicadores institucionais e os que serão assumidos pela comunidade.

A EPDRAC, desde que começou o seu percurso na educação, tem procurado ser promotora da mudança e ser uma instituição que no seu processo de ensino tem em vista uma formação profissional de qualidade, através de processos eficazes e eficientes que levem a aprendizagens efetivas e duradouras.

A EPDRAC, que teve o seu início em 1990, tem passado por processos conturbados e até perturbadores dos princípios que estão aqui enunciados, mas desde 2012 esta instituição tem percorrido o caminho que se tem mostrado na sua essência ser o necessário à mudança e ao ensino com a qualidade desejada.

Desde 2012 que a escola entrou num processo de mudança, com um trabalho esforçado mas feito com muito empenho e muita responsabilidade por parte de todos os que aqui dedicam os seus dias profissionais. Os docentes desta escola têm procurado que o projeto educativo da Escola seja um instrumento efetivo de autonomia, que o seu regulamento interno seja uma ferramenta de trabalho no seu dia-a-dia e que o plano anual de atividades seja um projeto dinâmico, que é o garante da qualidade do ensino e formação profissional a que nos propomos.

Os funcionários (Assistentes Técnicos e Assistentes Operacionais) procuram que, no âmbito das suas competências e funções, a Escola dê resposta ao que se propõe efetivamente a realizar.

Os nossos alunos, que nos procuram porque possuem um projeto de vida, são os principais atores neste processo. Deixam as suas famílias ainda muito novos e aqui se fazem homens e mulheres. São eles a prova de que vale a pena acreditar no futuro. Os Pais destes alunos, que são bastante corajosos, deixam aqui os seus filhos acreditando que vale a pena este esforço pelo seu futuro. Acreditam que a escola vai fazer o seu papel de ensinar e formar profissionalmente os seus filhos, para que sejam cidadãos qualificados. Aos pais, por sua vez, cabe manterem-se atentos para que os seus filhos continuem a prosseguir os valores e os princípios que lhes forneceram na sua educação diária, pois é essencial este trabalho conjunto de pais e escola. Os primeiros para educar e a escola na sua função de ensinar. Mas não há um processo efetivo de ensino se os alunos não quiserem aprender. Cremos que na sua maioria os alunos querem aprender, os professores querem ensinar, pelo que estamos no caminho do sucesso. No entanto, algumas vezes pode haver vontade de aprender, mas o aluno pode não conseguir aprender por diversos motivos. Por sua vez, o professor e a escola devem adotar as medidas necessárias para ajudar nas dificuldades sentidas.

No presente estamos a trabalhar para que os nossos alunos possam ter as melhores condições para concluir o seu percurso escolar com sucesso. Naturalmente, não temos as condições que consideramos ideais, mas temos trabalhado para que dentro das nossas possibilidades e das circunstâncias se olhe para o futuro com esperança. Tenho por hábito dizer que estamos a preparar o amanhã e é realmente no amanhã que vamos pensando.

Posso dizer que esta Escola tem as suas especificidades. Tem as suas necessidades. Tem as suas ansiedades. É necessário criar as condições essenciais para que a nossa autonomia seja efetiva e não seja igual à que foi dada aos agrupamentos. É necessário que se criem as condições para que estas escolas possam recorrer a fundos comunitários ou outros, para que se equipem com os mecanismos agrícolas atualizados e adequados para as atuais operações agrícolas.

Enfim, trabalhar para o presente e para o futuro é a nossa realidade, mas não podemos esquecer de que necessitamos de meios adequados.

Um dos aspetos mais relevantes da nossa realidade são os nossos efetivos parceiros. Com a Coudelaria de Alter trabalhamos enquanto parceiros efetivos nas mesmas instalações procurando utilizar o espaço com rigor e responsabilidade. Sabemos que nem sempre o conseguimos, mas efetivamente fazemos um grande esforço para isso. A Câmara Municipal reconhece o nosso valor enquanto instituição necessária para a Vila de

Alter e trabalha connosco e integra-nos nas diversas atividades que se realizam na Vila, valorizando assim o nosso potencial. As juntas de Freguesias locais valorizam o nosso trabalho e consideram importante o nosso esforço junto da comunidade local. As empresas locais e regionais e até nacionais, que possuem protocolo com a escola, para a formação em contexto de trabalho dos nossos alunos são um eixo importantíssimo para o desenvolvimento desta escola. Proporcionam aos nossos alunos as competências práticas, complementando o trabalho que a escola já realizou.

A todos que estão connosco neste processo de formação profissional dos nossos jovens e que ajudam e facilitam as condições materiais que por vezes não conseguimos obter de outra forma, o meu agradecimento público. Mas não deixo de referir, a Escola está inserida numa comunidade local e faz parte de uma comunidade educativa ampla, como tal contamos com todos os atores desta comunidade para nos ajudar a continuar a trilhar os caminhos do sucesso. Necessitamos do esforço e do empenho de todos e contamos efetivamente com esse esforço para que a mudança que pretendemos seja efetiva e para que a qualidade do nosso ensino seja cada vez mais reconhecida.

 

Alter do Chão, 14 de setembro de 2015

A Diretora

Maria da Conceição F. R. de Matos